22 de jun de 2013

A mudança começa dentro de você

O Brasil ainda é um país corrupto.

Tiramos 3,7 no índice de percepção da corrupção de 2010 (quanto mais perto de 10 menos corrupto é o país).

Somos campeões no futebol mas um time de terceira divisão quando o assunto é educação. Há várias pesquisas e metodologias mas em todas temos um resultado ridículo. Nesta aqui ficamos em penúltimo lugar dentre 40 países.

Nosso PIB é o sexto maior do mundo. Temos uma economia vigorosa e diversificada, que cresceu muito nos últimos anos. A desigualdade social diminuiu mas ainda ocupamos a posição 85 no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 2012. Estamos atrás do Irã e da Venezuela neste indicador.

Quem cresceu (como eu) no final dos anos 1980, sabe que hoje o Brasil é um país melhor em praticamente todos os aspectos.

Mas apesar dos avanços, ainda falta muito para sermos considerados um país desenvolvido e uma nação civilizada. Quem já viajou para o exterior sabe do que estou falando...Estamos décadas atrás da Europa e Estados Unidos, por exemplo.

Os protestos começaram e a maioria das bandeiras faz muito sentido:

Por um país sem corrupção

Por educação e saúde padrão FIFA

Por um sistema político que nos represente e etc.


A história mostra que nenhuma grande mudança ocorre com todo mundo sentado no sofá da sala. O povo precisa demonstra sua insatisfação.

Mas a coisa não pode parar por aí. As causas pelas quais lutamos tem que se estruturar, precisamos criar canais de diálogo com o governo e uma pauta de soluções específicas a ser defendida. Senão houver avanço neste sentido, as manifestações serão apenas um descontentamento com tudo e com todos. Um descontentamento generalizado que pode alimentar a violência e a perda de rumo e razão.

Que todos nós possamos colaborar com esta maravilhosa janela de oportunidade para mudar a história deste país para melhor.

E que sempre esteja conosco a atitude de ser o exemplo, a mudança que queremos ver no mundo, inspirando nossos filhos, amigos e conhecidos para agir com Ética e em prol do bem comum.

Obs.: (Atualização 23:00) Acabo de voltar para casa dirigindo pela marginal Tiête e Pinheiros, em São Paulo. Vi vários carros muito acima do limite de velocidade. Tive que desviar em diversos momentos e ao menos em duas oportunidades evitei uma colisão. Será que estes motoristas que dirigem como loucos são os mesmos que vão às ruas pedir mudanças?


Nenhum comentário:

Postar um comentário