11 de ago de 2011

O Chaves está Vivo!

Quando eu era criança, adorava "Chaves e Chapolin". Durante alguns anos, não perdia um episódio nas tardes do SBT.

Um certo dia, quando eu tinha uns 7 anos, fui até a casa de uma Tia brincar com alguns primos e ela nos contou que um avião que transportava todos os atores que faziam o Chaves tinha explodido.

Todos estavam mortos. Meu Mundo caiu.

Durante alguns anos acreditei nisso.

Roberto Gomez Bolaños, o intérprete de Chaves e Chapolin, está hoje com 82 anos e nesta semana participou de uma videoconferência transmitida pela internet, ao lado de sua esposa Florinda Meza (a Florinda da série). Ele também criou uma conta no Twitter e atualmente está com mais de 1 milhão de seguidores.

A "pequena" diferença de 1987 para cá é que naquela época não havia como verificar se a história que minha Tia contou era verdade ou não. Não havia jornais mexicanos nas bancas, o SBT não falava nada sobre isso e a Enciclopédia Barsa de 18 volumes que eu tinha na estante de casa também não me dava esta resposta.

Agora, em 2 segundos você descobre se histórias como essa são verdades ou não. É isso ir até o "Ser mais sábio do Planeta Terra": Google.

Se o Mundo mudou tanto em pouco mais de 20 anos, o que esperar para os próximos 20?

Sua organização está pensando e se preparando para este futuro ou somente correndo atrás do passado?

Vocês ainda pagam por pesquisa de mercado ou antes olham nas redes sociais para ver o que está sendo dito?

Que tal digitar # e o nome do seu produto no Twitter para saber o que os consumidores dizem?

Dos 10 vídeos mais vistos no Youtube em todos os tempos, 8 são clipes de músicas. Todos, com mais de 240 milhões de visualizações. Alguma dúvida que a indústria da música mudou?

E o que dizer da TV?

Durante muitos anos a discussão no Brasil estava em torno do quase monopólio de audiência da Rede Globo.

Com a disseminação dos vídeos na internet, a Globo não tem mais somente o SBT ou a Record como principais concorrentes. A Folha, o Estadão, o Terra e todos os outros sites de notícias ou entretenimento, são ou serão seus concorrentes diretos.

Se seu mercado ainda não mudou por causa da internet, irá mudar em breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário