11 de fev de 2011

Tempos Modernos


"Tempos Modernos", de Charles Chaplin é um clássico imperdível.

Um filme lançado em 1936 com o objetivo explícito de criticar o Capitalismo Industrial vigente na época e representado por grandes corporações como a Ford e seu modelo de produção em série.

Cada cena do filme possui um significado especial.

O presidente da empresa se parece muito com Henry Ford e aparece no início do filme brincando com seu quebra-cabeças e lendo jornal, ou seja, não fazendo nada. Sua próxima tarefa é observar a fábrica e os funcionários através de uma tela enorme que fica na sua sala, como se tudo fosse um Big Brother de controle social.

Chaplin interpreta um empregado da linha de produção que acaba enlouquecendo em função do trabalho repetitivo e extremamente baseado em autoridade e controle.

Um filme imperdível, que nos mostra a essência de uma Era Industrial e um modelo de gestão baseado na desconfiança, controle dos empregados e trabalho extremamente repetitivo.

Ao assistir o filme novamente, me lembrei dos nossos queridos Call Centers...Toda a semelhança não é mera coincidência!

E sua organização? Está livre das mazelas de "Tempos Modernos" ou ainda há algo desta velhice por aí?

Se olharmos na essência das práticas gerenciais de nossos tempos, como a noção básica de que os funcionários não trabalham senão forem direta ou indiretamente vigiados, veremos que estes conceitos de "Tempos Modernos" ainda continuam muito vivos em nossas mentes, atitudes, empresas, governos ou Ong's.

Tempos Modernos apresenta o fracasso total da Motivação 2.0, conceito elaborado por Daniel Pink e discutido em alguns posts anteriores sobre Motivação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário